Aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias

Aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias

Aprendizados Cultura Recrutei Startup

Aos 35 anos, atingi minha quarta virada na carreira. Desta vez, minha entrada no universo das startups trouxe consigo a necessidade de adaptação a uma nova cultura, focada em agilidade e autonomia 

“Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende.” Leonardo Da Vinci

Montando o cenário

Vou falar um pouco sobre os aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias. Mas antes, é necessário contextualizá-lo, para que tudo faça sentido. 

Minha vida profissional se iniciou aos 18 anos, quando fui aprovado em um concurso na área da saúde. Eu acabara de sair do ensino médio e já atingira o tão sonhado emprego público. Dois anos e meio depois, fui aprovado em outro concurso, na área da educação. 

Muitas pessoas sonham com a estabilidade do funcionalismo público, mas cinco anos depois, eu estava desmotivado pelo salário ruim e pela falta de perspectiva de ascensão na carreira. Com isso, veio minha primeira virada na carreira.

Pedi demissão e parti para a área de vendas. Atuei primeiramente como vendedor de uma siderúrgica, mas acabei não durando muito, pois minha pouca maturidade acabou limitando minhas perspectivas. 

Meu emprego seguinte, também como vendedor, foi em uma loja de instrumentos musicais. Eu também sou músico, e atuar no ramo era a realização de um sonho. Entretanto, algum tempo depois a loja em que eu trabalhava fechou as portas. Estava eu novamente desempregado. 

Após três meses no seguro-desespero, digo, seguro-desemprego, tive a oportunidade de trabalhar como consultor de vendas em uma produtora de vídeo, que fazia desde videoclipes musicais a vídeos institucionais e publicidade para TV. Era um emprego bacana, mas atuar nessa área no interior não é tão promissor assim. 

Nesse momento, cheguei à segunda vira na carreira. Leia o texto até o final para saber como a cultura das startups pode ser uma poderosa ferramenta de transformação. 

Eu recebi um convite para gerenciar uma loja do ramo alimentício e aceitei. Depois de um ano, fui convidado para gerenciar uma nova unidade daquela franquia em outro estado, e também aceitei. Mudei-me com minha família do interior paulista para o Triângulo Mineiro, mas depois de alguns desentendimentos com o proprietário, pedi para sair. Seria minha terceira e mais dramática virada na carreira.

Como eu tinha algum dinheiro guardado, decidi montar meu próprio negócio. Por falta de planejamento, acabei tomando algumas decisões equivocadas, o que me fez perder tudo. 

Tive que começar do zero, e acabei conseguindo uma vaga para ser atendente de telemarketing. Foi paixão à primeira vista. 

Fiquei um ano e meio no atendimento de um SAC bancário, mas minha eterna paixão pelo ensino me conduziu à área de treinamento da empresa. Treinei centenas de novos atendentes nos três anos e meio em que atuei na área. 

Aprendi muita coisa sobre o mundo corporativo e gestão de pessoas nesse período. Acabei me formando em Gestão de Recursos Humanos e fazendo uma pós-graduação em Docência. 

Continue a leitura para entender os meus aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias. 

Após cinco anos atuando em Call Center, viria minha quarta virada na carreira. 

Desta vez, existe um período de transição. Durante um ano, atuei como motorista de aplicativo. Pode parecer algo simples, mas abrir mão da carteira de trabalho e da CLT não é algo fácil, principalmente quando o mundo mergulha em uma pandemia e todas as coisas ficam incertas da noite para o dia. 

Davi Valukas

Meus primeiros passos na Recrutei

Antes de estar oficialmente no time comercial da Recrutei, eu prestei alguns serviços para a empresa como freelancer. Escrevi e-books e artigos para este blog, liguei para clientes para falar dos desafios da quarentena, enviei e-mails, gerei leads e agendei demonstrações para outros vendedores. 

No início de agosto, fui integrado ao time comercial, que nós carinhosamente chamamos de time de geração de receita. 

Continue a leitura para saber quais aprendizados eu obtive com a cultura Recrutei nos últimos 60 dias. 

Escrevi e-books e artigos para este blog, liguei para clientes para falar dos desafios da quarentena, enviei e-mails, gerei leads e agendei demonstrações para outros vendedores. 

Aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias

“A necessidade é a mãe da inovação.” Platão

Talvez o maior desafio de quem vem do mercado de trabalho tradicional para o universo das startups esteja não nas práticas do dia a dia em si, mas na mentalidade necessária para obter sucesso em um ambiente inovador, focado na autonomia e composto por muitos jovens talentosos e ávidos em mudar o mundo.

O fator linguístico 

O primeiro degrau a ser subido era o linguístico. Termos técnicos em inglês causam estranheza no início. Budget, valuation, lead, founder, call, talent acquisition, road map. Eu poderia escrever um texto inteiro apenas citando os termos anglófonos utilizados diariamente. 

Muitas pessoas torcem o nariz para essa aparente utilização excessiva de termos em língua inglesa por profissionais das startups. Dizem que é uma desvalorização de nossa língua mãe, o português. 

Contudo, toda área de atuação tem seus próprios jargões, muitas vezes em língua estrangeira. O Direito tem seus jargões em latim, pois Roma é sua origem. A Medicina tem seus jargões em grego, pois a Grécia é seu berço. As startups, que surgiram no vale do Silício, nos Estados Unidos, têm seus jargões americanizados, e não há surpresa alguma nisso. 

Mesmo a língua portuguesa falada no Brasil é muito influenciada por outros idiomas, como o tupi dos índios e o yorubá dos africanos. Até o século XVIII, muitas regiões do país tinham uma segunda língua oficial, como a língua geral paulista na região da antiga Paulistânia (regiões de cultura caipira) e o nheengatu da região amazônica. No sul do país, o alemão e o italiano são comuns em cidades menores. 

Budget, valuation, lead, founder, call, talent acquisition, road map. Eu poderia escrever um texto inteiro apenas citando os termos anglófonos utilizados diariamente.

O fator autonomia

Voltando à cultura Recrutei, outro fator que me chamou a atenção foi o da relativa autonomia que os profissionais têm para exercer o seu trabalho. Evidentemente, tudo deve ser reportado e mensurado, mas cada um utiliza suas melhores ferramentas intelectuais e comportamentais em prol dos resultados almejados. 

Isso pode parecer fortuito ou aleatório, mas faz parte de algo maior, ou seja, um filosofia que valoriza os talentos individuais, considerando-os mais que meros crachás numerados. 

Startups, via de regra, são empresas criadas por jovens promissores e talentosos, pontos fora da curva, com um domínio tecnológico altamente sofisticado e um nobre ideal no coração. Com isso, além de gerarem valor à sociedade e ao mercado com suas inovações disruptivas, atraem talentos com esse perfil empreendedor, criativo e inovador, que vão praticar o intraempreendedorismo sem as amarras do mercado tradicional, o que nos leva ao próximo ponto. 

Menos burocracia, mais agilidade 

Algo muito valorizado e entranhado na cultura Recrutei é a chamada “cultura ágil”, baseada nos quatro princípios do Manifesto Ágil:

  • Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano   

Clique aqui para baixar gratuitamente nosso e-book sobre metodologias ágeis aplicadas no RH.

Essa agilidade só se torna possível graças à desburocratização dos processos. Isso não significa abrir mão de um processo estruturado, o que é fundamental para o atingimento de metas sustentáveis, mas saber contextualizar os casos individualmente, sabendo que cada cliente tem suas necessidades e idiossincrasias, e muitas vezes isso não foi previamente mapeado.    

Algo muito valorizado e entranhado na cultura Recrutei é a chamada “cultura ágil”, baseada nos quatro princípios do Manifesto Ágil
  1. Interação facilitada

Por último, algo que a Recrutei preza bastante é o contato direto entre todos os membros do time. A hierarquia é praticamente nula, sendo possível tirar dúvidas e dar sugestões ao CEO, ao CPO e ao CTO diretamente pelo Whatsapp. 

Além disso, quando existe alguma dificuldade específica, mesmo que isso exija um contato com o cliente, é possível convidá-los para uma call sem a necessidade de consultar uma secretária, bastando consultar sua disponibilidade diretamente na agenda, à qual todos têm acesso. 

Em suma, meus aprendizados com a cultura Recrutei em 60 dias giram em torno de uma adaptação mental e filosófica. Se o futuro passa por pontos como a internet das coisas, apps de mobilidade urbana, de alimentação, de entretenimento e, logicamente, softwares as a service, os famosos SaaS, como a plataforma de recrutamento digital da Recrutei, estar inserido nesse universo tem sido uma experiência fantástica, não apenas no âmbito profissional, mas em todos os âmbitos de minha vida pessoal, intelectual e espiritual. 

Um abraço e até a próxima!

Davi Valukas – Business Developer

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *