Press "Enter" to skip to content

Conheça a ação social da Recrutei pela empregabilidade

Davi Samuel Valukas Lopes 0

“O melhor programa social que existe é um emprego.” Ronald Reagan, ator e 40º presidente dos EUA

Contextualização histórica

Conheça a ação social da Recrutei pela empregabilidade. Mas antes, vamos entender as origens desse tipo de ação no mercado.

Historicamente, criou-se uma imagem não muito lisonjeira da figura do empresário, o capitalista que só pensa em lucro através da exploração da mão de obra do trabalhador. Não vou entrar no mérito político-ideológico da questão nem dizer se a ideia é realista ou não, mas o fato é que essa ideia acabou impregnando no imaginário popular.

Contudo, com o avanço tecnológico e democrático, a preocupação com os aspectos sociais como um fator importante da performance dos colaboradores aumentou bastante, o que pode ser comprovado ao se analisar os estudos da psicologia organizacional da época. 

O surgimento do terceiro setor

Já na década de 1970, surge nos Estados Unidos o conceito de terceiro setor, que abarcava todas as associações da sociedade civil que não tivessem vínculos com o Estado mas também não possuíssem fins lucrativos. 

Entidades assistenciais e de caridade, institutos culturais, organizações filantrópicas etc. Tudo isso se encaixava na ideia do terceiro setor, apartado do primeiro setor (Estado) e do segundo setor (iniciativa privada). 

Porém, essa separação criou diversas limitações à atuação do terceiro setor, que não gerava receita que pudesse cobrir os custos operacionais e muitas vezes deixava as entidades excessivamente dependentes das doações de pessoas físicas e de parcerias esporádicas com o governo.

Conheça a ação social da Recrutei pela empregabilidade

Amigos do Emprego, uma ação da Recrutei pela empregabilidade. Leia esse artigo até o final para entender como contribuir com essa causa!

O que é Responsabilidade Social: as empresas abraçam a ideia

Foi no início da década de 1990 que esse cenário começou a ser modificado a partir da popularização da responsabilidade social. 

Primeiramente, as grandes empresas, como bancos e empreiteiras, ao invés de doarem dinheiro para instituições do terceiro setor, começaram a criar as suas próprias fundações e institutos, como a Fundação Bradesco, o Instituto Itaú Cultural e a Fundação Vale, para citar alguns exemplos. Com isso, criaram uma nova cultura focada na responsabilidade social corporativa, que é a ideia de que as empresas podem contribuir com o desenvolvimento social não apenas do ponto de vista econômico, mas também cultural, educacional, ambiental etc. 

Na época, diversas universidades passaram a financiar pesquisas acadêmicas que pudessem fomentar o desenvolvimento do terceiro setor não como algo isolado e excêntrico, como parecia ser até então, mas como uma forma da iniciativa privada demonstrar um interesse genuíno pelas comunidades em que estão inseridas através do desenvolvimento sócio-cultural. 

Além disso, o primeiro setor também é beneficiado, pois há diversas parcerias que funcionam como uma extensão dos serviços públicos que muitas vezes o Estado não consegue prover de forma sustentável por uma série de fatores.

Hoje, há uma boa sinergia em constante expansão, que vem comprovando na prática que a união de esforços entre os elementos que compõem o estado, o mercado e a sociedade civil (os três setores) podem colaborar e muito com o desenvolvimento social, cultural e econômico através da ação comunitária. 

Com isso, o combate à pobreza, à miséria e ao sofrimento humano passam a ser um compromisso de todos, desde as grandes corporações até os pequenos empreendedores.    

O que é empregabilidade

O termo empregabilidade não está relacionado apenas ao fato de um trabalhador estar ou não empregado. Trata-se, pelo contrário, de um conceito bem mais amplo.

A empregabilidade está ligada não apenas ao ato de conseguir um emprego, mas também à capacidade de permanecer empregado, ou seja, de proteger sua carreira dos riscos do mercado.

Adequação vocacional, ética, idoneidade e competência profissional são alguns elementos de responsabilidade do próprio trabalhador em relação à empregabilidade.

Amigos do Emprego

Agora que nós já entendemos a responsabilidade que as empresas adquiriram com o passar dos anos, vamos entender melhor como funciona a campanha Amigos do Emprego, ação social lançada pela Recrutei em prol da empregabilidade. 

Hoje a Recrutei possui cerca de 150 parceiros em sua plataforma, o que significa que aproximadamente 150 empresas e consultorias de R&S otimizam seus processos seletivos através da nossa ferramenta de recrutamento digital. 

Essas empresas possuem mais de 1.500 vagas abertas na plataforma, ou seja, milhares de oportunidades de emprego em andamento. 

Com a chegada da pandemia, milhões de brasileiros perderam seus empregos, a fonte de renda que alimentava suas famílias. 

Segundo dados do governo federal, hoje o país conta com mais de 14 milhões de desempregados, maior índice dos últimos nove anos. Além disso, esse número não contempla o chamado desalento, aquelas pessoas que já desistiram de procurar uma recolocação profissional e estão sendo sustentadas ou por pessoas próximas (geralmente familiares) ou por algum programa assistencial do governo. 

Analisando este cenário nada inspirador, a Recrutei decidiu contribuir com a mitigação da situação através de uma ação social em prol da empregabilidade, o Amigos do Emprego. 

A mecânica da ação: como se tornar um Amigo do Emprego

Se você conhece alguém que está procurando emprego ou mesmo quer contribuir com esta causa tão nobre, pode se inscrever clicando aqui. Após o preenchimento do formulário você receberá um e-mail com um link personalizado, que poderá ser divulgado em sua rede de contatos. 

Faça uma boa ação e concorra a prêmios

No dia 21 de maio, faremos uma mensuração da quantidade de talentos inscritos em cada link. O primeiro colocado vai ganhar um Kindle 10ª geração, enquanto o segundo colocado ganha um Echo Dot 4ª geração. 

Os 25 primeiros colocados, por sua vez, ganham direito à participação em um webinário de carreira exclusivo, que será ministrado pela Aparecida Morais, sócia-conselheira da Recrutei com ampla experiência em gestão de pessoas.

Faça parte de nossa base de talentos

Se você está procurando emprego, ao se inscrever em um dos links personalizados que eu citei acima, passa automaticamente a fazer parte de nossa base de talentos, podendo ser convidado por um de nossos parceiros para participar de um processo seletivo entre as mais de 1.500 oportunidades disponíveis. 

Não perca tempo e participe dessa corrente do bem! 

Se você gostou desse artigo, fique ligado que toda semana tem mais!

Um abraço!

Davi Valukas – Desenvolvimento de Canais

Leia outros artigos meus clicando aqui.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *